29.2.12

Lucidez

Foi o adjetivo que elegi pra externar minha opinião sobre a obra da Maria da Graça Dutra, o livro “O cavalo do padeiro”, no qual ela conta a própria trajetória na defesa de um ideal. A causa abraçada por ela, a de defender e ajudar os animais, não é das mais gratas, principalmente na capital da farra do boi, mas os inúmeros obstáculos só fortaleceram seu propósito de trazer um pouco de luz sobre esse assunto que é de todos nós, queiramos ou não.

O Gu e eu tivemos a oportunidade de trabalhar um pouco pela causa nos idos de 2005 e, por meio do conhecimento da Graça, conseguimos sair da ignorância em relação ao tema. Para sempre seremos defensores dos animais e de todo e qualquer ser que precisar e puder contar com a nossa ajuda.

Mas, voltando ao livro, falo em lucidez porque, ainda hoje, muita gente classifica os protetores de animais como “a velha dos gatos” ou a “louca dos cachorros”, mas é preciso bastante esclarecimento para enxergar e entender a questão. E isso a Graça tem de sobra. Tanto é que hoje temos em Florianópolis uma estrutura profissionalizada e institucionalizada na prefeitura para atendimento aos animais e seus donos. Somos modelo nacional.

A leitura de “O cavalo do padeiro” mostra que o X da questão é a ignorância, a falta de informação que impera entre os racionais. Além de tudo, é muito bem escrito, bem contextualizado, emocionante e conta com a ironia fina dessa grande mulher.

Recomendo com louvor e deixo meu exemplar à disposição pra quem quiser emprestado.



O Cavalo do Padeiro
de Maria da Graça Dutra
(PalavraCom Editora)
Prefácio de Mario Pereira
208 páginas

2 comentários:

Maria da Graça Dutra disse...

Querida, fiquei emocionada...Não mereço tanto!
Bj

Gabriella Capitane disse...

Onde posso comprar este livro? Sou de São Paulo e achei o livro interessante... Obrigada pela atenção.