8.6.08

Tortura junina

Faz três noites que o CocoGrande (Conselho Comunitário do Córrego Grande) promove festas juninas com som no último volume. Hoje, pleno domingão, ouvimos por pelo menos uma hora as cantigas desafinadas do pau de fita. Não sou contra festa nem cultura popular, muito pelo contrário, mas se coloquem no nosso lugar: mesmo com o apartamento todo fechado e a TV em alto volume, ficar ouvindo ininterruptamente "faix favô di pará, olê olê olá" é pra irritar qualquer cristão. Sem falar no som mecânico com pérolas do tipo "tira a roupa que eu vou te ajudar" ou "vamos fazer amor até virar do avesso". Felizmente tive que dar uma saída e na volta a cantoria tinha terminado. Mas o Gu me contou que conseguiu ouvir direitinho quando tocou "ado, aaado, cada um no seu quadrado" e logo depois o locutor anunciou: "e pra fechar a festa com chave de ouroooo.... a dança do créu!!!"

2 comentários:

Leila disse...

Talvez eu seja meio paranóica com isso, mas cada vez que passo por uma experiência como essa que você relatou não posso deixar de pensar que "o voto deles vale tanto quanto o meu"...Só pode dar "créu" mesmo...kkkk

Ana Paula disse...

O que é pior, Aline - a festa junina do CocoGrande ou a Festa da Laranja??? Que sina!!
Lembra que a paciência é uma virtude...
beijos =)