18.10.10

Venezia: love is in the air



Parte do grupo não quis incluir Veneza no roteiro pela fama que a cidade tem de preços caríssimos. Eu e o Gu, porém, não poderíamos deixar de conhecer, nem que fosse pra passar dois dias a base de panini. Qual não foi a nossa surpresa ao verificar que TUDO era menos caro que nas outras cidades por onde havíamos passado (exceto a hospedagem). Veneza é uma delícia pra se caminhar nas ruelas, passando as pontes, vendo as vitrines com máscaras maravilhosas. O passeio de gôndola era uma incógnita. Viemos do Brasil com a informação de que custava 150 euros por casal. Será que vale, pra quem mora numa ilha, pagar tudo isso por uma “banda de barquinho”? Chegamos no final de tarde, com uma chuvinha fina, mas o dis seguinte amanheceu lindo e gelado. O primeiro programa foi subir a torre do Campanelo (sino), de onde se vê toda a Veneza de cima. O vento tava de rachar, mas valeu a pena (até porque tinha elevador). Algumas horas de caminhada depois, paramos pra olhar as gôndolas e perguntamos o preço: 80 euros. Deu vontade, mas muito caro... Um gondoleiro simpático veio então falar conosco e ofereceu um passeio por 60. Quando ele se apresentou como Igor, sentimos que era pra ser. Nossa, foi uma das melhores partes da ida a Veneza. O cara era um verdadeiro guia, foi cantando e contando várias histórias sobre a cidade, fundada no ano 400 e tantos. Contou, por exemplo, que por dez séculos não haviam pontes e cada família tinha suas gôndolas. Contou também que Veneza já teve 300 mil habitantes, mas depois de uma grande enchente em 1966 quase ninguém mais quis morar no térreo e as casas começaram a ser vendidas para hotéis. Hoje são 50 mil habitantes,mas a cada ano, uns 20 milhões de turistas passam por lá. Ouvíamos tudo isso passando sob as pontes, observando a cidade e o reflexo dos barcos na água.
Além da fama injusta dos altos preços- foi aqui que finalmente compramos os souvenirs pros parentes – outro tabu quebrado foi o do mau cheiro. A cidade não fede como haviam nos dito. Aliás, tudo muito limpo e organizado. Foi também a cidade em que comemos melhor e pagamos menos. Por estarmos só os dois, conseguimos até descansar um pouquinho, coisa rara nos últimos dias.
Uma dica pra comer boa pasta fresca, feita na hora, com vinho e água, é o Brek, pertinho da estação ferroviária.

2 comentários:

liliane disse...

Oi Line e Gu, adorei as fotos, sem dúvida Veneza é linda, faz uns 20 anos que estive lá e naquela época
os tabus já existiam, fiquei apaixonada pela atmosfera do lugar e nunca entendi como a maioria dos brasileiros fala mal da cidade. No ano que retornei ao Brasil começou uma novela cuja abertura foi gravada lá chamada VAMP.
Enfim, viajei um pouquinho nas fotos de vocês.

Beijos!! e esperamos vocês qualquer hora aqui na praia.
Liliane Cabral (cunhada)

Glaucinha disse...

ai Lineeeeeeeeeee, meu sonho andar de gondolas...ai que romantico. Amei. beijos