3.1.08

Pérolas do Pântano

O Pântano do Sul é um celeiro de preciosidades nativas. No ano passado contei aqui uma historinha com a benzedeira. Dessa vez, as pérolas também vieram das moradoras mais antigas.

Dia desses o Gu parou pra conversar uma velhinha quase centenária, nascida e criada aqui, e que diz que nunca pegou praia.
- "Esses tempos cuidei de uma gaúcha que pegou uma "pereba" na pele", ela contou.
- "A rapariga não comia nada, passava o dia todo tomando aquele negócio..."
- "Chimarrão" - disse o Gu.
- "É, isso mesmo. Ah, se fosse minha filha eu dava uma sova".

Outro dia, saí com a mina mãe pra pegar umas coisas na "venda". No caminho encontramos duas velhinhas encostadas no muro de casa, observando o movimento. Cumprimentamos as duas quando passamos, e elas puxaram papo:
- "Ah, pegaram praia..."
- "Pegamos sim, tá ótima" - respondemos. Aí veio a pergunta que nos deixou de queixo caído:
- "Lavaram bem a marrequinha?"

E as duas caíram na gargalhada...

3 comentários:

Nai disse...

Aline, você me fez dar boas gargalhadas agora à noite. Nasci e cresci no Pântano do Sul, lugar que amo de paixão. Mas estou longe, morando em São Paulo. Um amigo me mandou o link do teu blog e li a história da benzedeira e das velhinhas. É óbvio que, como boa nativa do Pântano, identifiquei imediatamente as três personagens. Ah, e uma delas é minha tia (mais uma prova de minha origem já que lá todo mundo é parente)... AMEI!!! Beijo, Naiana

Aline Cabral disse...

Oi Naiana, esse mundo virtual é pequeno mesmo! Que ótimo, adorei o comentário. A historinha do ano passado tá em http://pensamentospublicos.blogspot.com/2007_01_01_archive.html
Beijo!

Aline Cabral disse...

Ih, o link não deu certo, mas é só acessar Janeiro de 2007 no menu da lateral direita
: (