26.1.09

Origens

Embora eu seja manezinha de criação, sou gaúcha de nascimento. Essa semana, minha prima Raquel veio de Santa Maria, minha terra Natal, pra nos visitar. Com base nas conversas com ela, criei essa historinha, quero ver quem entende:

Era verão, mas por conta do minuano, tava um frio de renguear cusco. O criaredo reunido, de carpim e óculos de sombra, tremia até doer as paletas, mas nada de desistir de assar aquele vazio. Enquanto esperavam, dá-lhe cacetinho com guisado, que tinham trazido nas viandas. Foi quando chegou o último piá, munido de um fardinho de polar. Aí a faceirice foi geral!

3 comentários:

Cesar disse...

Tradução livre (como toda a tradução, acaba perdendo a gaiatice):
Era verão, mas por causa do vento sul, estava fazendo muito frio. A turma reunida, de meia e óculos escuros, tremia até doer as costas, mas nada de desistir de assar aquele pedaço de carne. Enquanto esperavam, dá-lhe pão d´água com guisado, que tinham trazido nas marmitas. Foi quando chegou o último guri, trazendo um pacotinho de cerveja Polar. Aí todos se animaram!

Aline Cabral Vaz disse...

Oi Cesar! Quanto tempo, hein? Desde o ano passado que não recebia nenhum honroso comentário teu. Quanto à tradução, muito bem, só trocaria o pão d´água por pão de trigo e o guisado por picadinho ou carne moída. Aí não tem mané que não entenda. beijo!

Silvestre Gavinha disse...

Hehe...
Eu tinha entendido assim no geral.
Jamais conseguiria traduzir assim direitinho.
Meu pai teria orgulho de te ter como filha.
Nascido em Tupã filho de tropeiro...
Êta!!!