17.10.07

TIMata!!

Saída do trabalho um pouco mais cedo, primeiro final de tarde sem chuva do horário de verão, pôr-do-sol colorindo o céu. Programa: ir direto pra loja da Tim, no shopping, preparados pra tentar resolver pela terceira vez o mesmo problema. Resumindo: passamos um número de pré pra pós-pago em maio do ano passado, pra poder "ganhar" um aparelho novo a R$1. Como já era de cartão, pouco usado pra ligar, optamos pelo tal plano meia-tarifa, cuja mensalidade era de R$25. Ótimo. Até que, um mês depois, chegou a primeira fatura, de R$81. O atendente tinha cadastrado o número no plano errado. Após tentativas frustradas de resolver pelo atendimento telefônico, fui à loja pela primeira vez. Foram 40 minutos, mas saí achando que o problema estava resolvido. Ledo engano. No mês seguinte, veio a fatura: R$ 127. Dessa vez, escolhi um dia "daqueles" e armazenei um bom estoque de mau-humor antes de chegar à loja. Entrei com as quatro patas, mas ainda assim fiquei mais quarenta minutos na loja. Mas, saí achando que o problema estava resolvido. Ledo engano. Mês passado bloquearam o telefone pra fazer chamadas, alegando que tinha uma fatura de R$ 127 em aberto. Após várias tentativas altamente estressantes de resolver por telefone, fomos à loja hoje. Pois juro e tenho testemunhas que, após 1h50 - eu disse UMA HORA E CINQUENTA MINUTOS - saímos de lá sem resolver o problema.
Se eu não fiz um escândalo? Até que fiz, na primeira meia hora, mas depois foi cansando e deu muita pena do atendente, que também pagou os pecados tentando falar com a tal central. No final eu só tinha ânimo pra soltar frases do tipo: se alguém aí tá esperando pra adquirir alguma coisa da Tim, ainda dá tempo de desistir. Mas realmente não adiantava fazer o que dava vontade, tipo pegar aquele extintor de incêndio enorme e jogar pela loja inteira.
Nessa eternidade em que ficamos lá, presenciamos pelo menos outras duas pessoas, que chegaram calmas, saindo do sério. Uma delas declarou em alto e bom som que só queria se divorciar pra sempre da Tim.
Moral da história: quando faltavam 10min pra fechar duas horas, demos os braços a torcer e fomos embora. Uns 15 minutos depois nos telefonaram dando um número de protocolo e avisando que amanhã a linha será desbloqueada. Aí achamos que o problema estava resolvido. Ledo engano. Disseram que precisam de mais cinco dias úteis pra resolver o problema com a fatura.
TIM: stress sem fronteiras.

4 comentários:

Rodrigo Lóssio disse...

Por isso telefonia é campeã de reclamações nos PROCONs. Tive um problema há uns quatro anos com a Vivo, mais espeficicamente com um celular da Nokia. Foi uma maratona. Usei o celular por um mês e foi pro ar. Quem vendeu cruzava as mãos, ia para a assistência, ficava um mês, depois voltava, eu utilizava e ia pro pau novamente. Na segunda vez, enchi tanto o saco que a Nokia me deu um celular novo, mais moderno, para eu ficar quietinho.

Minha briga atual nesta área é com o NetFone. Tô tentando há seis meses trocar a titularidade da minha conta e não consigo.

O que mais me impressiona nestes casos é a ignorância do assunto de quem nos atende. São poucos que não conseguem sair das respostas prontas.

Dauro Veras disse...

Procon neles. E Anatel. E juizado de pequenas causas.

Dauro Veras disse...

E MÍDIA TÁTICA! Minar essas corporações fuleiras a partir do desgaste da imagem. Já pensou se todos os lesados fizerem assim?

MARI disse...

IH GURIA NEM ME FALA....FIQUEI 6 MESES BRIGANDO COM A TIM - ELES QUERIAM ME COBRAR AS FATURAS DO MEU TELEFONE ROUBADO!! NINGUÉM MERECE! UTILIZO OS SERVIÇOS DE OUTRA OPERADORA HÁ 1 ANO E MEIO SEM PROBLEMAS! BEIJO.