6.6.07

Pau pra toda obra

Além do jornalismo, trabalhei também em outras frentes, como frente de balcão de loja. Na primeira vez que fiz vestibular, não passei. Aí, até chegar a época da nova prova, resolvi trabalhar um pouco pra dar uma folga pras contas da minha mãe. Fui ser vendedora de boutique de marca, em frente à saída do meu ex-colégio. A outra vendedora era a Kita, uma das minhas melhores amigas. O trabalho não era dos mais árduos. Na flor do final da adolescência, aguardávamos ansiosamente a chegada das novidades e provávamos uma por uma. O expediente tinha horários de pico (a saída do colégio), mas fora desses períodos era a maior calmaria. Ficávamos ouvindo fita K7 (muitos nem devem saber o que é isso), falando dos nossos "ficantes" e de vez em quando recebíamos visita do pessoal do cursinho. Foi ótimo. O problema é que todo final de mês ficávamos no prejuízo. O salário não cobria a quantidade de roupas que a gente acabava comprando...

3 comentários:

Anônimo disse...

Faltou falar da "Gasoline" do Shopping BM!

Anônimo disse...

E também da vida de modelo... Garota Capricho, acho que vale um post!!!!

Aline Cabral disse...

Anônimo, quem é você?? Me conhece tanto que lembrou até de coisa que eu nem lembrava! Vou contar essas também, beijo!